às estrelas

Nem puras, nem extremas, nem sondáveis
por uma nave cósmica:
só estrelas,
como posso vê-las.
Se penso nos poetas clássicos
e nos astronautas
– palavras bonitas, mentiras enormes –
sei que é pouco, quase nada.
O que fazer no fundo desse alumbramento:
ver com estes olhos micros
– míopes, fatigados, semicegos –
só estrelas.

Virgílio Piñera

Anúncios

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: