infinito

Sempre caro me foi este ermo monte,
e esta sebe, que por grande parte
do último horizonte o olhar exclui.
Mas sentando e olhando interminados
espaços além dessa, e sobre-humanos
silêncios, e profundíssima quietude
eu no pensar me finjo; mas por pouco
o coração não treme. E como o vento
ouço soar entre estas plantas, eu aquele
infinito silêncio a esta voz
vou comparando: e relembro o eterno
e as mortas estações, e a presente
e viva, e o som dela. Assim entre esta
imensidão se afunda o pensar meu:
e o naufragar me é doce neste mar.

Giacomo Leopardi

Anúncios

Tags:


%d blogueiros gostam disto: