desamparo

quando a poesia me desabita
e as palavras fogem
pássaros estarrecidos
e a luz oculta das coisas
se esvai
um trem que a noite engole
quando não há deuses nem estrelas
nada que seja diáfano
ligando as coisas
só o coração da terra
pulsando grave e amedrontador
quando isso acontece
me sinto desamparada

Roseana Murray

Anúncios

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: