que cansa, estafa

tramonta o artifício da eternidade
no plágio lacustre o eriçar dos juncos
do pai rendeu loas a lago e abade
a mãe resiste coberta de fungos

a crocitar do bosque turva o vento
em árdua razão a palma se alonga
quase lanha o friúme do sereno
enquanto a azenha a pilar toda ôntica

à beira da várzea múrmuro anuro
arredado da própria circunstância
ele se excede no que é sem augúrio
e assoma ao extremo da sua lâmina

Ronald Augusto

Anúncios

Tags: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: