Archive for the ‘Arnaldo Antunes’ Category

casulo

01/04/2020

ileso em meu asilo
de carne e pele
passo
do impasse que me impede
ao impulso que me impele
ao impacto
e peço
ao tempo que apressa o passo
do ímpeto ao inevitável
que me livre
de empate
e me leve
leve
ao nocaute
do casulo que me isola
agora

Arnaldo Antunes

óbitos

29/08/2018

eles não pegam em armas
só em canetas e papéis
mas matam mais com suas leis
que atiradores cruéis

estatutos de escorpiões
despachos de cascavéis
cobertos de suas razões
dos cabedais até o pés

óbitos óbitos óbitos
cada vez mais
óbitos óbitos óbitos
nunca é demais

assinam assassinatos
e deliberam as guerras
exercem os seus mandatos
alimentando misérias

lágrimas lágrimas lágrimas
cada vez mais
lágrimas lágrimas lágrimas
nos funerais

Arnaldo Antunes/Péricles Cavalcanti

lua vermelha

22/08/2018

lua vermelha
quase sem amor
minha luz alheia
brilho sem calor

lua vermelha
branca, lua, preta
lambe minha orelha
com a sua cor

lua vermelha
dez da madrugada
sapos na calçada
de nenhum país

lua vermelha
noite sem Luís
toda sertaneja
eu sempre te quis
eu sempre te quis

minha namorada
flor desabrochada
leite de Pequim

lua vermelha
noite que menstrua
lua lua lua
por cima de mim

lua vermelha
pedra que flutua
que ilumina o poste
que ilumina a rua

lua vermelha
meia de Luís
toda sertaneja
eu sempre te quis

lua vermelha
ave, flecha, pluma
pérola madura
sono do dragão

lua vermelha
só uma centelha
dura enquanto dura
bolha de sabão

lua vermelha
fora da bandeira
bola japonesa
no céu do sertão

lua vermelha
negra de Luís
toda sertaneja
eu sempre te quis
eu sempre te quis….

Arnaldo Antunes/Carlinhos Brown

saiba

15/08/2018

Saiba: todo mundo foi neném
Einstein, Freud e Platão também
Hitler, Bush e Sadam Hussein
Quem tem grana e quem não tem

Saiba: todo mundo teve infância
Maomé já foi criança
Arquimedes, Buda, Galileu
e também você e eu

Saiba: todo mundo teve medo
Mesmo que seja segredo
Nietzsche e Simone de Beauvoir
Fernandinho Beira-Mar

Saiba: todo mundo vai morrer
Presidente, general ou rei
Anglo-saxão ou muçulmano
Todo e qualquer ser humano

Saiba: todo mundo teve pai
Quem já foi e quem ainda vai
Lao Tsé Moisés Ramsés Pelé
Ghandi, Mike Tyson, Salomé

Saiba: todo mundo teve mãe
Índios, africanos e alemães
Nero, Che Guevara, Pinochet
e também eu e você

Arnaldo Antunes

o buraco do espelho

08/08/2018

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar aqui
com um olho aberto, outro acordado
no lado de lá onde eu caí

pro lado de cá não tem acesso
mesmo que me chamem pelo nome
mesmo que admitam meu regresso
toda vez que eu vou a porta some

a janela some na parede
a palavra de água se dissolve
na palavra sede, a boca cede
antes de falar, e não se ouve

já tentei dormir a noite inteira
quatro, cinco, seis da madrugada
vou ficar ali nessa cadeira
uma orelha alerta, outra ligada

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar agora
fui pelo abandono abandonado
aqui dentro do lado de fora

Arnaldo Antunes

alta noite

01/08/2018

alta noite já se ia,
ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.
nenhuma pessoa sozinha
ia, nenhuma pessoa vinha.
nem a manhãzinha,
nem a madrugada,
alta noite já se ia,
ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.
nenhuma pessoa sozinha
ia, nenhuma pessoa vinha.
nem a estrela guia,
nem a estrela d’alva,
alta noite já se ia,
ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.

Arnaldo Antunes

avós

23/07/2018

Neto e neta são netos,
no masculino.
filho e filha são filhos,
no masculino.
pai e mãe são pais,
no masculino.
avô e avó são avós.

Arnaldo Antunes

saudades

23/10/2017

Não tenho saudades
do que vivi
porque tudo
está aqui

encorpado
dentro de mim
como um fígado
um pâncreas
um rim

não tenho saudades
do que vivi
(vi ouvi sonhei senti)
pois já se tornou
o que sou

não tenho saudades
do que vivi
tenho saudades do que viveram
aqueles com quem convivi

não do que vi, do que viram
não do que ouvi, do que ouviram
do que sonharam, sentiram
as pessoas que perdi

Arnaldo Antunes

o seu olhar

26/07/2017

o seu olhar lá fora
o seu olhar no céu
o seu olhar demora
o seu olhar no meu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

onde a brasa mora
e devora o breu
onde a chuva molha
o que se escondeu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

o seu olhar agora
o seu olhar nasceu
o seu olhar me olha
o seu olhar é seu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

Arnaldo Antunes/Paulo Tatit

nada resiste

29/07/2016

para quem
desiste
da luta

tem circo
tem pão
tem pulga

nada
resiste
à lupa

nem cisco
nem grão
nem culpa

Arnaldo Antunes