Archive for the ‘Cacaso’ Category

logia e mitologia

11/12/2020

Meu coração
de mil e novecentos e setenta e dois
já não palpita fagueiro
sabe que há morcegos de pesadas olheiras
que há cabras malignas que há
cardumes de hienas infiltradas
no vão da unha na alma
um porco belicoso de radar
e que sangra e ri
e que sangra e ri
a vida anoitece provisória
centuriões sentinelas
do Oiapoque ao Chuí.

Cacaso

o lugar da transgressão

23/10/2019

Encontrei um sapo cochilando dentro de
Minha botina. Nunca me meti em botina
De sapo. Que liberdades são essas?

Cacaso

agenda

16/10/2019

Noite profunda. Sono profundo.
Esperança rasa.

Cacaso

vida e obra

09/10/2019

Você sabe o que Kant dizia?
Que se tudo desse certo no meio também
Daria no fim dependendo da ideia que se
Fizesse de começo

E depois – para ilustrar – saiu dançando um
Foxtrote

Cacaso

constatando

02/10/2019

era verdade
os urubus passeiam mesmo entre
os girassóis

Cacaso

jogos florais

25/08/2014

I

Minha terra tem palmeiras
onde canta o tico-tico.
Enquanto isso o sabiá
vive comendo o meu fubá.

Ficou moderno o Brasil
ficou moderno o milagre:
a água já não vira vinho,
vira direto vinagre.

II

Minha terra tem Palmares
memória cala-te já.
Peço licença poética
Belém capital Pará.

Bem, meus prezados senhores
dado o avançado da hora
errata e efeitos do vinho
o poeta sai de fininho.

(será mesmo com 2 esses
que se escreve paçarinho?)

Cacaso

rápido e rasteiro

19/10/2012

Vai ter uma festa
que eu vou dançar
até o sapato pedir pra parar.
aí eu paro
tiro o sapato
e danço o resto da vida.

Cacaso

descartes

22/07/2009

Não há
no mundo nada
mais bem
distribuído do que a
razão: até quem não tem tem
um pouquinho

Cacaso (Uberaba – 1944-1987)

Lançado em 06/07/2009

indefinição

14/07/2009

pois assim é a poesia:
esta chama tão distante mas tão perto de
estar fria

Cacaso

Lançado em 05/12/2008