Archive for the ‘Fabrício Carpinejar’ Category

ponto fraco

21/09/2020

Existe um único jeito de me envelhecer,
um único e irremediável.

Nenhuma perda em especial
me fará envelhecer.

Nenhuma dor em particular.
Nenhuma morte, eu me arriscaria a dizer.

Não será a barba grisalha, o tédio,
a dificuldade de subir a escada.
Não serão os ombros caídos, o lápis sem ponta e os óculos
que enterro na cabeça para nunca mais.

O definitivo jeito de me envelhecer
é corrigir meus dentes.

Os dentes tortos
são minha infância.

Fabrício Carpinejar

domingo

16/12/2016

As garças capinavam
as águas.

A saliva das aves
movia o motor
do riacho.

Fabrício Carpinejar

como no céu

05/09/2014

Viemos de uma genealogia
que nunca dará adeus,
em nenhuma situação,
ainda que da morte
ou da feroz despedida.

Não nos daremos adeus,
ainda que o fundo do tempo
martele nos joelhos
como um médico de família,
ainda que o barco vacile
e a terra se abra sem cumprimentos.

Não nos daremos adeus
por uma questão de caráter.

Fabrício Carpinejar

limites

13/12/2010

não me deixe viver
         o que posso

que me seja permitido
desaprender os limites

                                         Fabrício Carpinejar

memória

16/08/2009

A ânsia em reconstituir o passado
termina por olvidá-lo em definitivo.

Se me retirares a vaidade,
não terei memória.

Fabrício Carpinejar

Lançado em 14/08/2009