Archive for the ‘Geir Campos’ Category

lição

21/05/2010

Sai desse livro, meu filho, e dá um pulo cá fora:
olha esta rua
onde boiada não passa
                            nem passa boi
mas moreninha do cabelo cacheado
passa e passa moreno e passa preta
e passa preto e passa branca e passa branco
numa lição de cores brasileira
humanizando o azul da tarde franca.
Agora vai naquele muro e caligrafa este exercício:

“Abaixo o Homem Sanguessuga do Homem!”

Depois, querendo, volta a ler teu livro.

Geir Campos

Tarefa

14/07/2009

Morder o fruto amargo e não cuspir
mas avisar aos outros quanto é amargo,
cumprir o trato injusto e não falhar
mas avisar aos outros quanto é injusto,
sofrer o esquema falso e não ceder
mas avisar aos outros quanto é falso;
dizer também que são coisas mutáveis…
E quando em muitos a noção pulsar
— do amargo e injusto e falso por mudar —
então confiar à gente exausta o plano
de um mundo novo e muito mais humano.

Geir Campos

Lançado em 03/10/2008

o homem novo

14/07/2009

Se perguntares
como,
eu ficarei calado
ou talvez diga
simplesmente
assim.
Se perguntares
quando,
eu talvez diga

ou talvez meu silêncio
mais fundo cale ainda
pelo receio
de estar falando
atrasado.
Se perguntares
qual,
eu direi
esse a teu lado:
sabe de coisas
e a vida,
e se transforma
em pleno aprendizado.
Se me olhares agora
por certo me acharás
maravilhado.

Geir Campos – poeta capixaba

Lançado em 06/06/2008

Safra

18/05/2009

Como um viticultor ocioso come
em pleno outono, uma por uma, as uvas
do cacho que ele viu nascer, pesar,
sob os olhos do sol e o próprio olhar;
e em que, mais demorando o paladar
na espera aberta entre o prazer e a fome,
já reconhece o gosto bom das chuvas
lavando os fornos do verão distante;
e, como uma saudade só, o sabor
da terra presa as mãos grossas de suor
– assim viver a vida, instante a instante.

Geir Campos

Lançado em 15/05/2007