Archive for the ‘Helena Figueiredo’ Category

talvez

12/12/2016

Nos rostos que já fui, e me deixaram
não me reconheço em nenhum

será que fui eu esta menina
será que fui alguma vez tão pequenina
será que este sorriso já foi meu.

Talvez eu já perdesse a memória
e não me encontre
na minha própria história

talvez o que me falta, seja eu.

Helena Figueiredo

Anúncios

dois vultos

21/11/2016

Dois vultos no templo:

o que achou o céu
e o que se perdeu

qual deles é o pássaro
qual deles sou eu?

Helena Figueiredo

fogo posto

11/07/2016

Agora, que te lembro
já o trigo dorme no silêncio das arcas
e os frutos tombam maduros nos pomares.
Há um tempo talhado para todos os amores
e quando me vires chegar
por restolhos
onde outrora esvoaçaram borboletas
não julgues crime
se atear fogo no teu peito

é apenas a súplica de um cobarde
que pensava ser deus.

Helena Figueiredo

a palavra tarda

24/06/2016

a palavra tarda
na longa a espera
força-se o parto
nasce a quimera

a palavra tarda
sê paciente
embala a tarde
crê no poente

a palavra chega
de peito aberto
pássaro novo
com rumo certo

Helena Figueiredo

épico

19/09/2014

Uma cobra largou a pele
e em carne viva se arrastou
por botequins e becos
até se embriagar.

Julgam-na morta
sob a hera

mas logo acordará
da grande noite
do sono hibernante

vestindo a primavera.

Helena Figueiredo