Archive for the ‘Li Bai’ Category

beldade no caminho

02/06/2017

O cavalo
    empertigado
    marcha sobre as flores
    caídas
Meu relho no ar
    roça as nuvens.
Bela, a menina
    que abre a cortina de pérolas
aponta, ao longe,
    com um sorriso,
a casa vermelha:
    “É lá que eu moro”.

                                             Li Bai

Anúncios

pensamentos

17/03/2017

Diante de minha janela,
     o brilho do luar.
Ou é a geada
     cintilando no chão?

Ergo a cabeça
     e contemplo a lua.
Baixo a cabeça,
     saudades de minha terra natal!

Li Bai

a cascata do monte lu

13/01/2017

Debaixo do sol escaldante,
       sobe um vapor violeta
do pico do Queima-Incenso.
       De longe, a catarata
parece um rio suspenso,
       águas em voo que se jogam
       de três mil pés.
Fico indeciso:
       não é a Via Láctea
caindo do alto do céu?

Li Bai

escutando uma flauta em Luoyang

14/11/2016

Quem faz soar essa flauta,
        tocando em algum lugar,
e espalhando essa melodia
        que a brisa da primavera
leva até o povoado de Luo?
        Quem, nesta noite,
ouvindo essa canção antiga,
        percorrendo os galhos do salgueiro
deixaria de pensar
        no seu país natal?

        Li Bai

o monte tong

29/01/2016

Gosto do monte Tong
           porque ele me deixa alegre.
Fico por aqui bem uns mil anos.
          Danço ao meu gosto:
minha manga solta roça
          de uma só vez
todos os pinheiros aqui em cima.

Li Bai

diante da montanha de Jingting

23/10/2015

Os pássaros
      já partiram todos.
Mesmo a nuvem solitária
     afasta-se ao longe.
E nós, minha montanha,
     ficamos aqui, os dois, sozinhos,
a nos contemplar
     um ao outro
sem nos cansar jamais.

Li Bai

adeus a meng haoran

03/04/2015

A oeste do pavilhão da Grua Amarela,
        despedimo-nos, velho amigo.
Entre as flores e a bruma de março,
        desce rumo à aldeia de Yang.
A vaga silhueta de tua solitária vela
        desaparece no espaço esmeralda,
e só resta o Grande Rio
        a correr para os confins do céu.

Li Bai

o templo na montanha

30/03/2015

Passo a noite
       no Templo da Montanha.
Se estender a mão,
       posso tocar as estrelas,
mas falar não ouso:
       tenho medo de incomodar
os que moram no céu.

Li Bai

contemplando o monte tianmen

30/06/2014

Parece que o monte Tianmen
     partiu-se, de propósito, em dois,
     só para deixar correr
     o Grande Rio.
As águas verdes
     que se dirigiam para o leste
     voltam-se aqui, rápidas, para o norte.
As duas falésias azuis
     nas margens
     erguem-se,
e lá embaixo
     um resto de sol ilumina
um barco solitário
     nas águas ensombradas.

Li Bai

a cascata do monte Lu

19/05/2014

Debaixo do sol escaldante,
sobe um vapor violeta
do pico do Queima-Incenso.

De longe, a catarata
parece um rio suspenso,
águas em voo que se jogam
de três mil pés.

Fico indeciso:
não é a Via Láctea
caindo do alto do céu?

Li Bai