Archive for the ‘Lilia Silvestre Chaves’ Category

moirão

25/04/2014

Há limo nos meus olhos
– o limo da tarde –
quando o rio se evapora
em branco véu de adeus
por sobre a ilha.

O tempo e o desengano
na umidade de ser
quebram lágrimas
no moirão do olhar.

Há limo e neblina nos meus olhos.

Lilia Silvestre Chaves

Anúncios

para contar silêncios

05/08/2011

Como inventar o traço do silêncio,
seus mais leves tremores, seu pecado?
Como dizer das dores insolúveis,
do suspiro mudo e antecipado,
do tênue risco do horizonte que existia
e hoje ondula, desvairando os montes,
transgredindo a noite nos solos do dia?

Como pedir ao mundo que me espere
em eterno modo de viver calado
sem que o segredo interno dilacere
em meu sussurro rimas insondáveis?

Como, em pronúncia muda, desmedida,
relatar a vida inteira num só gesto
de imprevisível silêncio, que jazia
no astro devolvido – golpe desferido
no pudor da noite, na nudez do dia?

Lilia Silvestre Chaves