Archive for the ‘Luís Delfino’ Category

e eu acho

09/01/2012

Do crespo mar azul  brancas gaivotas
Voam – de leite e neve o céu manchando,
E vão abrindo às regiões remotas
As asas, em silêncio, à tarde, e em bando.

Depois se perdem pelo espaço ignotas,
O ninho das estrelas procurando:
Cerras os cílios, com teu dedo notas
Que elas vêm outra vez o azul furando.

Uma na vaga buliçosa dorme,
Uma revoa em cima, outra mais baixo…
E ronca o abismo do oceano enorme…

Cai o sol, com já queimada facho…
Do lado oposto espia a noite informe…
Tu me perguntas se isto é belo?… e eu acho…

Luís Delfino

a poesia

20/07/2009

O que é poesia, Helena? O céu invade,
E tudo une e desune e tudo enfeixa;
E tudo mete em sonorosa endeixa,
E tudo quanto foi, e inda ser há de.

É a voz de Deus, o som da tempestade:
Dá músicas ao mar, amor à queixa:
E ela em seu manto embrulha os sóis, e deixa
A ira enleá-la, e é cheia de bondade.

Embala o berço, e faz dançar a boda:
Mesmo ao trágico empresta os seus encantos:
Dá voz sublime à ventania douda.

É de existência dor, sorriso, prantos:
E a grande, a rica natureza toda
Luz, freme, goza, sofre, haure em seus cantos…

Luís Delfino (poeta catarinense – 1834-1910)

Lançado em 13/03/2009