Archive for the ‘Murilo Mendes’ Category

reflexão n°.1

31/08/2012

Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho
Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio
Nem ama duas vezes a mesma mulher.
Deus de onde tudo deriva
E a circulação e o movimento infinito.

Ainda não estamos habituados com o mundo
Nascer é muito comprido

Murilo Mendes

modinha do empregado de banco

04/06/2012

Eu sou triste como um prático de farmácia,
sou quase tão triste como um homem que usa costeletas.
Passo o dia inteiro pensando nuns carinhos de mulher
mas só ouço o tectec das máquinas de escrever.

Lá fora chove e a estátua de Floriano fica linda.
Quantas meninas pela vida afora!
E eu alinhando no papel as fortunas dos outros.
Se eu tivesse estes contos punha a andar
a roda da imaginação nos caminhos do mundo.
E os fregueses do Banco
que não fazem nada com estes contos!
Chocam outros contos para não fazerem nada com eles.

Também se o diretor tivesse a minha imaginação
o Banco já não existiria mais
e eu estaria noutro lugar.

Murilo Mendes

jamais

23/05/2011

Quem não encontrar poesia no infinitamente pequeno
jamais a encontrará no infinitamente grande.

Murilo Mendes

canção do exílio

16/07/2009

Minha terra tem macieiras da Califórnia
onde cantam gaturamos de Veneza.
Os poetas da minha terra
são pretos que vivem em torres de ametista,
os sargentos do exército são monistas, cubistas,
os filósofos são polacos vendendo a prestações.
A gente não pode dormir
com os oradores e os pernilongos.
Os sururus em família têm por testemunha a Gioconda.
Eu morro sufocado
em terra estrangeira.
Nossas flores são mais bonitas
nossas frutas mais gostosas
mas custam cem mil réis a dúzia.

Ai quem me dera chupar uma carambola de verdade
e ouvir um sabiá com certidão de idade!

Murilo Mendes

Lançado em 26/01/2009

de lado a lado

14/07/2009

Deste lado tem meu corpo,
Tem o sonho,
Tem a minha namorada na janela,
Tem as ruas gritando de luzes e movimentos,
Tem meu amor tão lento,
Tem um mundo batendo na minha memória,
Tenho o caminho do trabalho.

Do outro lado, tem outras vidas,
Vivendo da minha vida,
Tem pensamentos sérios,
Me esperando na sala de visitas,
Tem minha noiva definitiva,
Me esperando com flores na mão.
Tem a morte, as colunas da ordem e da desordem.

Murilo Mendes

Lançado em 08/09/2008