Archive for the ‘Wallace Stevens’ Category

o planeta na mesa

30/09/2019

Ariel gostou de ter escrito seus poemas.
Eram de um tempo relembrado
Ou de algo visto que o agradara.

Outros feitos do sol
Eram agrura e tumulto
E o arbusto maduro retorcido.

Seu ser e o sol eram um só
E seus poemas, embora feitos de seu ser,
Não eram menos feitos do sol.

Que perdurassem não era importante.
O importante era que portassem
Algum traço ou caráter,

Uma afluência, mesmo quase imperceptível,
Na pobreza de suas palavras,
Do planeta do qual faziam parte.

Wallace Stevens

meramente ser

20/07/2009

A palmeira no final da mente,
Além do pensamento último, se eleva
Na brônzea distância,

Um pássaro de penas de ouro
Canta na palmeira, sem sentido humano
Nem sentimento humano, um canto estrangeiro.

Então compreende-se que não é a razão
Que traz tristeza ou alegria.
O pássaro canta. As penas brilham.

A palmeira paira no limiar do espaço.
O vento roça devagar seus galhos.
As penas de fogo do pássaro pendem frouxas.

Wallace Stevens (poeta norte-americano)

Lançado em 04/05/2009