isto tudo

31/05/2017

isto tudo
foi escrito no futuro
quando eu era mais maduro
mais cortês
foi tirado do escuro
escarrado
vomitado de uma vez
foi ditado por um cego
recebido de um morcego
letra ferida com prego
isto tudo não é tudo
eu sei
é só a parte que não sei.

Silvestrin Roberto

sempre

29/05/2017

Alice Ruiz

nem isto nem aquilo

26/05/2017

nem verso nem prosa
nem rima nem trova
letra perigosa
esta triste troça
que inibe e que acossa

nem escreve nem apaga
com lápis ou tinta
palavra bizarra
esta que não se poupa
e não se aceita extinta

Lota Moncada

o lavrador de palavras

24/05/2017

O torso descoberto no dorso aberto da tarde
O lavrador de palavras planta palavras na lama.
A cada letra que planta é dez segundos mais velho
(Com licença, Vou me olhar no espelho).

Mano Melo

é o que me interessa

22/05/2017

Daqui desse momento
O meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
Assombram a paisagem
Quem vai virar o jogo
E transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado
Só de quem me interessa
Às vezes é o instante
A tarde faz silêncio
O vento sopra a meu favor
Às vezes eu pressinto
E é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me traz o seu sossego
Atrasa o meu relógio
Acalma minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa

A lógica do vento
O caos do pensamento
A paz na solidão
A órbita do tempo
A pausa do retrato
A voz da intuição
A curva do universo
A fórmula do acaso

O alcance da promessa
O salto do desejo
O agora e o infinito
Só o que me interessa

Lenine/Dudu Falcão

flores

19/05/2017

Ninguém
oferece flores.

A flor,
em sua fugaz existência,
já é oferenda.

Talvez, alguém,
de amor,
se ofereça em flor.

Mas só a semente
oferece flores.

Mia Couto

súbita paixão

17/05/2017

Agora o que faço com este
órgão escancarado,
taquicardíaco,
que viu o sol pela primeira
vez e não que abrir mão
de tanto deleite?

Noélia Ribeiro

negro forro

15/05/2017

minha carta de alforria
não me deu fazendas,
nem dinheiro no banco,
nem bigodes retorcidos.

minha carta de alforria
costurou meus passos
aos corredores da noite
de minha pele.

Adão Ventura

chamem-me pelos meus verdadeiros nomes

12/05/2017

Não digam que parto amanhã
Porque ainda hoje estou chegando.

Olhe bem, a cada instante estou chegando
Para ser um broto em um ramo de primavera
Para ser passarinho, com as asas ainda frágeis,
Aprendendo a cantar em meu novo ninho,
Para ser lagarta no coração de uma flor,
Para ser uma joia oculta em uma pedra.

Ainda estou chegando, para rir e chorar,
Para sentir medo e esperança
O ritmo do meu coração é o nascimento e a morte
De tudo o que está vivo.

Sou a libélula em metamorfose
Na superfície do rio
E sou pássaro
que se lança ao ar para engolir a libélula.

Sou rã que nada alegremente
Nas águas claras de uma lagoa
E eu sou a serpente
que em silêncio se alimenta da rã.

Sou a criança em Uganda, só pele e ossos,
Minhas pernas tão finas como um bambu.
E sou o mercenário
que vende armas para Uganda.

Eu sou a menina de doze anos
Que se refugia em uma balsa
que se lança ao oceano
Após ter sido violentada por um pirata.
E eu sou o pirata
cujo coração ainda não é capaz
de sentir e de amar

Eu sou um membro do Politburo,
Com todo o poder em minhas mãos.
E eu sou o homem que pagou
Sua “dívida de sangue” para com seu povo
Morrendo lentamente em um campo de trabalho forçado.

Minha alegria é como a cálida primavera
Que faz florescer toda a Terra.
Minha dor é como um rio de lágrimas,
Tão vasto que enche os quatro oceanos.

Por favor, chamem-me pelos meus verdadeiros nomes,
Para que eu possa ouvir todos os meus gritos e risos ao mesmo tempo,
Para que eu posso ver que minha alegria e minha dor são uma.
Por favor, chamem-me pelos meus verdadeiros nomes,
Para que eu posso acordar
E a porta do meu coração
Possa permanecer aberta,
A porta da compaixão.

Thich Nhat Hanh

ato falho

10/05/2017

o pássaro voa do galho
a árvore vai junto
num ato falho

Fred Maia