Posts Tagged ‘Pro Dia Nascer Feliz’

melhor seria

04/12/2017

Podaste à vida ramos sem seiva
sonhos despidos, mágoas de amor
regaste tudo com as lágrimas e o fogo
e das cinzas, só o vento foi senhor.

Melhor seria
que mergulhados na terra os deixasses
ao embalo das chuvas
poiso das aves do ciclo novo

seriam hoje raiz profunda, braços florindo
e logo mais, ao entardecer
um doce néctar tocando os lábios
do moribundo que quer viver.

Helena Figueiredo

Anúncios

dança

27/11/2017

Sim, existe a dança:
o corpo solto avança
e recua leve nos passos
matemáticos, um, dois, um,
como se fosse mais fácil
viver num tempo menor,
brincadeira de criança
que sabe de cor o roteiro
e ri na hora marcada.

Fora da dança, o infinito
nos convida, nos seduz
com passos improváveis,
mas temos dois olhos,
apenas duas pernas,
e, sobretudo, duas mãos
onde só cabe um punhado
de estrelas.

Ricardo Silvestrin

só, eu

20/11/2017

Entardeceu…
Anjos de asas quebradas
Ladeiras na ida e na volta
Anoiteceu e continuo só, eu

Carlos Nagib Monteiro

poesia

13/11/2017

No meio da lama,
lótus…

Jenisse Lanza

cartão postal

06/11/2017

A cidade é velha
E nos olha
                   Com suas pedras
Seus venenos
E seus vermes, suas ladeiras
E santos
Com a redondez (verde
     Ficando azul)
        Dos morros
             E com seu olho
                   Mais duro

— De mármore ou de memória?

                                                          Ricardo Aleixo

sentimental

30/10/2017

Ponho-me a escrever teu nome
com letras de macarrão.
No prato, a sopa esfria, cheia de escamas
e debruçados na mesa todos contemplam
esse romântico trabalho.

Desgraçadamente falta uma letra,
uma letra somente
para acabar teu nome!

– Está sonhando? Olhe que a sopa esfria!

Eu estava sonhando…
E há em todas as consciências um cartaz amarelo:
“Neste país é proibido sonhar.”

Carlos Drummond de Andrade

saudades

23/10/2017

Não tenho saudades
do que vivi
porque tudo
está aqui

encorpado
dentro de mim
como um fígado
um pâncreas
um rim

não tenho saudades
do que vivi
(vi ouvi sonhei senti)
pois já se tornou
o que sou

não tenho saudades
do que vivi
tenho saudades do que viveram
aqueles com quem convivi

não do que vi, do que viram
não do que ouvi, do que ouviram
do que sonharam, sentiram
as pessoas que perdi

Arnaldo Antunes

mar

16/10/2017

I
Amo todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua

II
Cheiro a terra as árvores e o vento
Que a Primavera enche de perfumes
Mas neles só quero e só procuro
A selvagem exalação das ondas
Subindo para os astros como um grito puro.

Sophia de Mello Breyner Andresen

lanterna mágica (iv – itabira)

09/10/2017

Cada um de nós tem seu pedaço no pico do Cauê.
Na cidade toda de ferro
as ferraduras batem como sinos.
Os meninos seguem para a escola.
Os homens olham para o chão.
Os ingleses compram a mina.

Só, na porta da venda, Tutu Caramujo cisma na derrota
incomparável.

Carlos Drummond de Andrade

estrelas

02/10/2017

toda noite
montoeiras
de estrelas
embaralham
todo o céu

o que a noite deseja escrever
com este amontoado de estrelas?

                                            Francisco Marques Rocha