Posts Tagged ‘Pro meu corpo ficar Odara’

anoitecer

16/08/2017

É a hora em que o sino toca,
mas aqui não há sinos;
há somente buzinas,
sirenes roucas, apitos
aflitos, pungentes, trágicos,
uivando escuro segredo;
desta hora tenho medo.

É a hora em que o pássaro volta,
mas de há muito não há pássaros;
só multidões compactas
escorrendo exaustas
como espesso óleo
que impregna o lajedo;
desta hora tenho medo.

É a hora do descanso,
mas o descanso vem tarde,
o corpo não pede sono,
depois de tanto rodar;
pede paz – morte – mergulho
no poço mais ermo e quedo;
desta hora tenho medo.

Hora de delicadeza,
gasalho, sombra, silêncio.
Haverá disso no mundo?
É antes a hora dos corvos,
bicando em mim, meu passado,
meu futuro, meu degredo;
desta hora, sim, tenho medo.

Carlos Drummond de Andrade

as coisas

09/08/2017

As coisas têm
Peso, massa, volume
Tamanho, tempo
Forma, cor
Posição
Textura, duração
Densidade
Cheiro
Valor
Consistência
Profundidade, contorno
Temperatura, função
Aparência
Preço, destino, idade
Sentido

As coisas não têm paz
As coisas

Gilberto Gil

janela

02/08/2017

sempre ali na janela
que sonhos teria a donzela

uma feira de livros em Genebra,
uma praça de touros em Sevilha,
uma toalha em praia perdida
onde o mar solene requebra?

quimeras sonhava a bela
sempre ali, na janela

o parque Ibirapuera,
uma casa de campo toscana,
as místicas linhas de Nazca
que os serem de além celebram?

sozinha ali na janela
o que a bela espera?

flores azuis da primavera,
o céu sem manchas do cerrado,
quem sabe um fruto maduro
do quintal da casa ao lado?

Getúlio Maia

o seu olhar

26/07/2017

o seu olhar lá fora
o seu olhar no céu
o seu olhar demora
o seu olhar no meu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

onde a brasa mora
e devora o breu
onde a chuva molha
o que se escondeu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

o seu olhar agora
o seu olhar nasceu
o seu olhar me olha
o seu olhar é seu

o seu olhar seu olhar melhora
melhora o meu

Arnaldo Antunes/Paulo Tatit

estrela, estrela

19/07/2017

Estrela, estrela
Como ser assim
Tão só, tão só
E nunca sofrer

Brilhar, brilhar
Quase sem querer
Deixar, deixar
Ser o que se é

No corpo nu
Da constelação
Estás, estás
Sobre uma das mãos

E vais e vens
Como um lampião
Ao vento frio
De um lugar qualquer

É bom saber
Que és parte de mim
Assim como és
Parte das manhãs

Melhor, melhor
É poder gozar
Da paz, da paz
Que trazes aqui

Eu canto, eu canto
Por poder te ver
No céu, no céu
Como um balão

Eu canto e sei
Que também me vês
Aqui, aqui
Com essa canção

Vitor Ramil

odara

12/07/2017

Deixa eu dançar pro meu corpo ficar odara
Minha cara minha cuca ficar odara
Deixa eu cantar que é pro mundo ficar odara
Pra ficar tudo joia rara
Qualquer coisa que se sonhara
Canto e danço que dará

Caetano Veloso

palavra

05/07/2017

palavra não é coisa
que se diga
quem toma a palavra
pela coisa
diz palavra com palavra
mas não diz coisa com coisa
a palavra pode ser pesada
a coisa, leve
e vice-versa não é coisa alguma
a palavra coisa
não é a coisa palavra
palavra e coisa
jamais serão a mesma coisa

Ricardo Silvestrin

se

28/06/2017

::
se falasse
como quem desfalecesse
talvez não merecesse
a muda dicção
de quem calasse

se calasse
como quem não esclarece
talvez esfacelasse
o som da voz
de quem falasse
::

Diego Petrarca

afetivo e efetivo

21/06/2017

no alarde das dobras marginalizadas
a imensidão sempre é mais
carente

João Pedro Wapler

ilha

14/06/2017

só porque vive no mar
não quer dizer
que um pescador não conheça a terra
um pescador conhece muito bem a sua ilha

sabe que um lado
é sempre diferente do outro
sabe que os homens
preparam muito bem suas fogueiras
sendo que as mulheres
já possuem seu próprio fogo

Pedro Marodin